Síndrome do Túnel do Carpo

perguntas  
             respostas

1. O que é?

Síndrome do túnel do carpo é o nome da doença decorrente da compressão do nervo mediano que passa na região do punho.

2. Quais são os sintomas mais comuns?

Tipicamente as pessoas acometidas sentem dor, dormência, formigamento, queimação ou sensação de "choques" nas mãos, mais intenso no período noturno, pela manhã ou quando mantém determinada postura contínua, como por exemplo segurar o volante do carro. Os sintomas podem acometer mais as pontas dos dedos, particularmente o polegar, indicador e médio. A dor é comumente localizada na mão e punho, porém pode se estender até o antebraço, braço e ombro. Muitas vezes os sintomas são confundidos com "problemas de circulação, coluna ou até mesmo derrames".

3. A doença é progressiva?

Na maioria dos casos não. Na fase inicial os sintomas costumam ocorrer de maneira intermitente e quase sempre a noite e em época de temperatura mais baixa. Depois podem desaparecer por meses ou até anos e retornar em seguida. É comum as pessoas acordarem no meio da noite, chacoalhar as mãos ou colocá-las em água morna para aliviar os sintomas.

4. Em que lado ocorre o problema?

Na maioria dos casos os sintomas ocorrem nas duas mãos, mesmo que se inicie apenas em uma.

5. Em qual idade aparecem os sintomas da doença?

Na maioria dos casos o síndrome do túnel do carpo aparece entre 40 e 60 anos, porém pode ocorrer em qualquer faixa etária a partir da idade adulta.

6. Qual o sexo mais acometido?

Em quase 90% dos casos a síndrome do túnel do carpo aparece no sexo feminino.

7. Qual a causa da compressão do nervo mediano (punho)?

A causa mais comum é inflamação crônica inespecífica dos tendões flexores dos dedos, que passam juntamente com o nervo na região do punho. Existem, contudo, várias doenças ou situações que predispõem o aparecimento do síndrome do túnel do carpo, como por exemplo problemas de tiróide, amiloidose, diabetes, fraturas recentes ou antigas na região do punho, algumas formas de reumatismo como artrite reumatóide e gravidez. Pessoas com índice de massa corporal mais elevado (obesas) e punho com tendência ao formato quadrado ("punhos mais grossos") tem maior chance de desenvolver síndrome do túnel do carpo.

8. A L.E.R. (lesão por esforço repetitivo) pode causar síndrome do túnel do carpo?

Todas as situações de uso contínuo e excessivo dos músculos (tendões) flexores dos dedos podem originar ou mais comumente, piorar, a compressão do nervo mediano no punho; o exemplo mais explícito desse problema é observado nos indivíduos de zona rural, que fazem ordenha por muitos anos e subseqüentemente desenvolvem dormência nas mãos.

9. Como é feito o diagnóstico desse problema?

O exame que confirma ou não a presença de compressão do nervo mediano na região do punho é chamado eletroneuromiografia; o nervo recebe pequenos estímulos que serão registrados no aparelho e interpretados pelo profissional. Quando existir compressão do nervo, as respostas aos estímulos estarão mais lentos (milésimos de segundo). O exame é simples, não necessita preparo ou jejum, não usa contraste ou radiação e deve ser feito preferencialmente por profissional habilitado: Título de Especialista em Eletroneuromiografia conferido pela Sociedade Brasileira de Neurofisiologia Clínica, Associação Médica Brasileira.

10. Após confirmado o problema o que deve ser feito?

As pessoas que apresentam esse problema, devem consultar um médico especializado para mais alguns exames rotineiros de investigação e, em seguida, iniciar tratamento.

11. Como é feito o tratamento?

O tratamento inicial deve levar em conta o resultado do exame de eletroneuromiografia. Se o nervo estiver muito afetado (compressão grave), é mais provável que deva ser realizada cirurgia sem muita demora. Se a compressão for leve, pode ser tentado tratamento inicial não cirúrgico, baseado fundamentalmente na imobilização da região do punho com tala facilmente colocada ou retirada com velcro. As medicações são úteis para alívio parcial dos sintomas, porém na maioria dos casos não resolvem o problema. As infiltrações são usadas em casos mais raros, quando a cirurgia não pode ser realizada naquele momento. É importante lembrar que os fatores desencadeantes ou que pioram a doença devem ser retirados e, as doenças de base associadas, adequadamente tratadas.

12. A cirurgia é complicada? Tem risco?

A cirurgia para síndrome do túnel do carpo deve ser realizada por profissional experiente na área de nervos periféricos e mão. Deve, preferencialmente, ser realizada em uma mão e após semanas na outra, desde que o problema exista nas duas. Os riscos são mínimos, pois a cirurgia consiste basicamente na abertura do ligamento que prende os tendões e o nervo, que fica situado superficialmente a eles. Deve-se evitar realização de cirurgia sem eletroneuromiografia prévia, que comprove o diagnóstico, pois a comparação com exame pré-operatório pode ser muito importante nos casos com resultado cirúrgico insatisfatório. A cirurgia por via endoscópica tem sido recentemente utilizada com bons resultados e a grande vantagem de pequena incisão e, consequentemente, menor cicatriz. Deve ser feita por profissionais experientes e para casos selecionados.

13. Se a pessoa não quiser operar existe risco? O que deve ser feito?

Essa é uma situação que ocorre com certa freqüência: medo e recusa à cirurgia. A compressão do nervo no punho tanto pode ficar estável ao longo de anos, como pode se agravar originando atrofia do nervo com pouca possibilidade de retorno pleno a normalidade, mesmo com a cirurgia. O mínimo que deve ser feito, nos casos em que as pessoas recusem cirurgia, é o exame eletroneuromiográfico periódico (no mínimo 1 vez ao ano ou sempre que os sintomas piorarem), para avaliação do grau de compressão (piorando, melhorando ou estável).

14. O síndrome do túnel do carpo é hereditário?

Existem relatos consistentes de maior predisposição à doença em algumas famílias.

© 1998 Prof. Dr. João Aris Kouyoumdjian